PF prende sete acusados de tráfico internacional de mulheres

A Polícia Federal prendeu, nesta sexta-feira, sete pessoas acusadas de envolvimento em um esquema de tráfico internacional de mulheres. A ação da PF, denominada Operação Castelo, foi deflagrada por uma denúncia sobre o embarque de mulheres aliciadas para prostituição na Espanha. No total, a operação cumpriu, além das prisões, 16 mandados de busca e apreensão. A operação contou com o apoio do governo espanhol e libertou quatro brasileiras e 20 romenas que estavam em cárcere privado, em Valência, na Espanha. Adriana dos Santos Cornélio foi presa na Espanha e Ruth Rosa da Silva, no aeroporto de Guarulhos, acusadas de aliciarem as vítimas. Também foi presa a proprietária da agência de turismo Vantur, Vânia D´Arc da Silva Pereira e seu marido, agente da polícia federal em Goiás, acusado de receber e conferir os requerimentos de passaportes das aliciadas, acelerando o processo. Sérgio Pereira Arantes, vereador eleito no município de Guapo (40 Km de Goiânia), foi preso sob a acusação de ter acompanhado passageiros até o México para a travessia ilegal para os EUA. Também foram presos Sebastião Patriarca, acusado de aliciar mulheres, de oferecer propina para a agilização da emissão de passaporte e de agenciar o trabalho de "coiotes" para entrada ilegal nos Estados Unidos, e Ronnie Pereira da Fonseca, acusado de receber dinheiro pela agilização do processo de retirada dos passaportes e de repassá-lo a estudantes envolvidos no esquema.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.