PF prende prefeitos de áreas com baixo IDH por desviar verba

A Polícia Federal prendeu o prefeito de Manari, cidade do agreste pernambucano que tem o menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil, Otaviano Martins (PMDB), os seus irmãos o prefeito de Águas Belas, Numeriano Martins (PSDB) e o deputado estadual Claudiano Martins (PMDB) e o prefeito de Tupanatinga, Manoel Ferreira Santos (PMDB) por terem desviado cerca de R$ 10 milhões de recursos federais.A Operação Alcaide desmontou a quadrilha que fraudava licitações em oito prefeituras da região. Todos os municípios investigados têm como característica o baixo índice de IDH e altos índices de criminalidade.Os três prefeitos e o deputado - entre as pelo menos 16 pessoas presas até o final da tarde - irão responder por fraude de licitações, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, corrupção, tráfico de influência, advocacia administrativa e formação de quadrilha. Um total de 21 mandados de prisão foi expedido pelo Tribunal Regional Federal. Os presos chegaram algemados à sede da Polícia Federal, no Recife, onde foram encarcerados. Computadores e documentos também foram apreendidos pela operação que envolveu 200 homens das Polícias Federal de Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Sergipe e Distrito Federal, sob o comando da delegada da Coordenadoria Geral de Polícia Fazendária de Brasília, Adriana Araújo Correia.EsquemaAs investigações tiveram início no ano passado e, em janeiro deste ano, a Controladoria Geral da União (CGU) realizou auditorias nos municípios de Águas Belas, Manarí, Cupira, Tupanatinga, Agrestina, Itaíba, Lagoa dos Gatos e Panelas.De acordo com a polícia, era o seguinte o esquema da quadrilha: o prefeito firmava convênios ou contratos com a União, o que implicava repasse de verbas federais. A licitação era fraudada para beneficiar empresas fantasmas ou com ramificações em outros municípios. A prestação de contas era feita com notas fiscais frias e o dinheiro era retirado por prefeitos, tesoureiros, funcionários ou por terceiros. Os irmãos Martins foram alvo de denúncia e investigações da CPI do Narcotráfico e da Pistolagem, no ano 2000, quando os municípios de Itaíba, Tupanatinga e Águas Belas ficaram batizados como "O Triângulo da Pistolagem". Os irmãos chegaram a ser acusados pelo líder do PT de Itaíba de serem mandantes da morte do coordenador regional do Movimento de Libertação dos Sem-Terra (MLST), Anílton Matos da Silva, o Nem, executado com dez tiros, em 27 de outubro do ano passado, quando foi abastecer em um posto de gasolina de Itaíba. A acusação não foi comprovada.A região investigada pela Operação Alcaide também era de atuação do promotor de Justiça Rossini Alves, assassinado em maio do ano passado.Outro ladoO senador Sérgio Guerra (PSDB) e parlamentares da legenda foram até à Polícia Federal prestar solidariedade ao deputado estadual Claudiano Martins, seu correligionário. O advogado do parlamentar, José Augusto Branco, considerou a prisão temporária ilegal, uma vez que ele tem imunidade. Disse também que a prisão do prefeito Otaviano - que também representa - é infundada. Frisou que ele tem residência fixa e se preparava para pedir sua soltura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.