PF prende ex-secretário de Meio Ambiente do Pará

Agentes da Polícia Federal do Pará prenderam nesta quarta-feira o ex-secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente (Sectam), Raul Pinto de Souza Porto, acusado de fazer parte de uma quadrilha envolvida em fraudes para a legalização de madeira irregular. Na casa dele foram apreendidos R$ 7,7 mil em dinheiro e documentos. A PF conseguiu chegar a Porto após a prisão da despachante de uma das madeireiras acusadas de fraude. Em seu depoimento, a mulher confessou participação no esquema, revelando que fazia a ponte entre a Sectam e a madeireira para a qual trabalhava. Por duas vezes ela esteve pessoalmente com Porto, entregando a ele R$ 15 mil em dinheiro e depositando outros R$ 10 mil em cheque. A PF, baseada nas informações, pediu a quebra do sigilo bancário do ex-secretário. Porto foi um dos últimos a ser preso na operação Ananias, desencadeada pela PF no começo deste mês nos municípios de Altamira, Santarém, Uruará, Placas e Itaituba, no oeste do Estado, além de Belém. No começo da tarde, outro preso chegou à sede da PF: o madeireiro João Salim, dono de empresa em Ananindeua, na região metropolitana de Belém.O delegado Alexandre Ferreira, que participou da operação, informou que além das 36 prisões já realizadas outras poderão ocorrer nos próximos dias. Porto e Salim deverão ficar na cadeia por cinco dias. Advogados do ex-secretário negam que ele tenha praticado qualquer irregularidade quando dirigia a Sectam no governo do tucano Simão Jatene.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.