PF prende ex-prefeito envolvido em fraude no Orçamento

O ex-prefeito de Januária, cidade do norte de Minas, e outras duas pessoas foram presas na manhã desta sexta-feira durante operação da Polícia Federal (PF), desencadeada com o objetivo de desarticular uma quadrilha especializada em desviar e apropriar recursos do Orçamento da União.Josefino Lopes Viana (PFL) foi preso no município que governou por dois mandatos. O ex-secretário de Administração e Finanças da cidade, Fabrício Viana de Aquino, e o proprietário da empresa Larissa Comércio Ltda., Carlos Alberto de Almeida, foram presos em Montes Claros. Conforme o delegado Marcelo Eduardo Freitas, os três foram presos sob acusação de fraudar uma licitação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), no valor de R$ 473 mil. As fraudes eram executadas mediante licitações combinadas e o fornecimento de notas fiscais frias para justificar despesas inexistentes. Os mandados de prisão preventiva foram expedidos pela juíza Maria Edna Fagundes Veloso, da Justiça Federal em Montes Claros. Os agentes ainda cumpriram nove mandados de busca e apreensão.Segundo a PF, com base nas investigações, a suspeita é de que o montante desviado pelo grupo, entre 2001 e 2004, período do segundo mandato de Viana, possa passar de R$ 10 milhões. Nesse caso, o desvio envolveria, além de convênios firmados com o Ministério da Educação, os recursos liberados a Januária pelo Ministério da Saúde. Outras empresas consideradas fantasmas estão sendo investigadas.O ex-prefeito foi denunciado seis vezes pelo Ministério Público Estadual (MPE). Foi também alvo de nove procedimentos abertos pelo Procuradoria Geral da República em Minas. O advogado Antônio Adenilson Rodrigues, que representa Viana, disse que iria entrar ainda nesta sexta-feira com um pedido habeas-corpus no Tribunal Regional Federal (TRF) em Brasília. Os advogados dos outros acusados não foram localizados. A chamada "Operação Vida Secas" foi deflagrada no mês passado, com a prisão do ex-prefeito de Varzelândia, Josemar Soares Lima (PFL), e outras três pessoas. A PF e o Ministério Público investigam fraudes em processos de licitação e desvio de recursos públicos em cerca de 80 prefeituras mineiras, principalmente nas regiões norte e vales do Jequitinhonha e Mucuri.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.