PF prende envolvidos em fraudes em licitações

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quarta-feira a Operação Câmbio Livre, com o objetivo de desarticular uma quadrilha envolvida em fraudes em licitações de medicamentos e no envio ilegal de dinheiro para o exterior. Ao todo, 100 policiais cumprem 14 mandados de prisão temporária e 19 de busca e apreensão em Belo Horizonte, São Paulo e Toledo (PR). Na capital paulista, às 11 horas, dois mandados de busca e apreensão e um de prisão temporária já haviam sido cumpridos. De acordo com a PF, o grupo era formado por empresários de laboratórios farmacêuticos, representantes comerciais de medicamentos, doleiros e servidores públicos. Eles agiam, combinando antecipadamente os preços que seriam oferecidos nos processos de licitação abertos por prefeituras, secretarias estaduais e entidades públicas para aquisição de produtos farmacêuticos. Assim, ao determinar o vencedor de cada licitação, o quadrilha eliminava a concorrência entre fornecedores. Em seis meses de investigação, a polícia identificou o esquema em seis de 21 processos de licitação. O valor dos produtos negociados de forma ilegal é estimados em R$ 3,5 milhões. Além das fraudes em licitações, a quadrilha organizava também um esquema de comércio ilegal de moeda estrangeira e evasão de divisas, por meio de duas grandes casas de câmbio de Belo Horizonte. Juntas, ambas realizaram 3 mil operações ilegais, somente no período de investigação da PF. Ao todo, aproximadamente R$ 1,5 milhão foram movimentados em contas bancárias nos Estados Unidos e em contas abertas em nome de laranjas no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.