PF prende Dantas pela 2ª vez; STF manda soltar Pitta e Nahas

Desta vez, banqueiro é acusado de corrupção ativa; presidente do Supremo pede que conduta de juiz que decretou prisões seja investigada; em apenas três dias, Fundo Opportunity perdeu R$ 1 bilhão

O Estadao de S.Paulo

11 de julho de 2008 | 00h00

No dia em que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, soltou o ex-prefeito Celso Pitta e o investidor Naji Nahas, capturados na Operação Satiagraha, o banqueiro Daniel Dantas sofreu um duro revés. Dez horas após ter sido libertado por Mendes, ele voltou a ser preso, agora por corrupção ativa, a mando do juiz Fausto Martin De Sanctis. O presidente do STF cobrou apuração da conduta do juiz, que justifica a prisão preventiva do controlador do Opportunity com base em novas evidências. A principal é uma planilha, que sugere pagamento milionário para evitar indiciamento e fala em campanhas.Enquanto a Polícia Federal tenta desvendar personagens do documento, o advogado de Dantas, Nélio Machado, denuncia "tortura branca". Acusa PF, Ministério Público e juízes de formarem um "triunvirato acusatório". A resposta veio do ministro Tarso Genro, que exaltou a PF como "motivo de orgulho". O presidente Lula, do Vietnã, prescreveu "andar na linha" como a única saída para não cair na malha dos agentes.A troca de acusações aumenta. A Rede Globo, por exemplo, contesta Tarso e nega ter sido favorecida. Enquanto isso, o Fundo Opportunity, fundado pelo banqueiro Dantas, perdeu R$ 1 bilhão em três dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.