PF prende 8 no Rio por fraude de R$ 6 milhões no INSS

A Polícia Federal (PF) prendeu hoje, no Rio, oito acusados de fraudar o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O prejuízo foi de R$ 6 milhões nos últimos seis meses, segundo estimativa do INSS. Todos os mandados de prisão expedidos pela Justiça Federal foram cumpridos. Os presos - 2 agenciadores, 1 estagiário e 5 advogados, entre eles 2 filhos de um juiz - são suspeitos de estelionato, formação de quadrilha, falsidade ideológica, uso de documento falso e falso testemunho. Caso haja condenação, as penas individuais podem chegar a 23 anos e 8 meses de reclusão, além de multa.De acordo com a investigação, realizada pela PF e o instituto nos últimos seis meses, o bando recrutava cidadãos no interior do Estado para requerer na Justiça aposentadorias rurais falsas. "Eles (os acusados) tinham a audácia de ir às cidades com carro de som e apresentar a fraude como uma ação do governo federal", afirmou o superintendente regional da PF, Valdinho Jacinto Caetano. "O interesse da quadrilha era no falso passivo. Eles pleiteavam os atrasados e ficavam com o dinheiro." Os suspeitos apresentavam-se como funcionários públicos federais, pediam aos segurados que assinassem procurações e recolhiam as carteiras de trabalho deles, segundo a polícia. A operação teve a participação de 50 policiais e foi batizada de Kabuf, termo usado pelos acusados ao fim de diálogos em conversas interceptadas pela PF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.