PF prende 29 envolvidos em garimpagem ilegal

Uma operação desencadeada pela Polícia Federal no interior de Rondônia prendeu 29 pessoas envolvidas na extração ilegal de diamantes da reserva Roosevelt, dos índios cinta-largas. Os policiais também apreenderam 144 pedras do mineral, cujo valor será avaliado pelo Instituto Nacional de Criminalística (INC), em Brasília. Quase 50 outras pessoas estão sendo investigadas, inclusive funcionários federais, políticos e empresários da região.Os presos, segundo fontes da PF, estavam dentro da reserva indígena, localizada em Espigão D?Oeste, no centro de Rondônia, onde foi descoberto no ano passado um dos maiores garimpos de diamante do País. Há três meses a PF já havia retirado pelo menos duas mil pessoas que estavam atuando ilegalmente na área, mas a conivência de índios e funcionários da Fundação Nacional do Índio (Funai) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) possibilitou o regresso de um novo grupo de garimpeiros.A situação estava sob controle até o mês passado, quando a PF descobriu que garimpeiros estavam sendo financiados por empresários e políticos locais para retornarem à reserva indígena. A partir daí foi organizada a Operação Resgate, que contou inclusive com o trabalho da Coordenação de Inteligência da PF, que identificou também o envolvimento de servidores do próprio governo federal na garimpagem clandestina.A Funai abriu uma sindicância e confirmou que pelo menos cinco funcionários estão envolvidos no episódio. Dois outros servidores do Ibama já foram afastados de suas funções e há a suspeita de que também haja participação de policiais no caso. A PF não divulgou os nomes dos políticos locais que estão financiando o garimpo, mas todos deverão ser indiciados por exploração ilegal de lavra mineral e invasão de terras indígenas.Com as 29 prisões realizadas na madrugada de hoje, chega a mais cem o número de pessoas detidas dentro da Reserva Roosevelt. Fontes da PF não descartam que, entre os próximos indiciados, estejam índios de uma facção favorável à exploração de diamantes na região. Um outro grupo apóia a retirada dos garimpeiros, que já contaminaram com mercúrio diversos riachos localizados na área indígena.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.