PF pode convocar Sarney a depor

O senador José Sarney (PMDB-AP) deve ser chamado pela Polícia Federal para esclarecer se tinha conhecimento das irregularidades na desapropriação da Fazenda Paraíso, no Pará, em 1988.Segundo reportagem da IstoÉ, o empresário Vicente de Paula Pedrosa teria intermediado a venda de Títulos da Dívida Agrária (TDAs) em nome do presidente do Senado, Jader Barbalho, na época ministro da Reforma Agrária.A PF também deve pedir a quebra de sigilo bancário do ex-banqueiro Serafim Rodrigues de Moraes e de sua mulher, Vera Arantes Campos, que teriam pago US$ 4 milhões pelos TDAs. A intenção da Polícia Federal é saber se, quando presidente, Sarney tomou conhecimento de que as terras estavam sendo desapropriadas de forma irregular, já que a fazenda não existia.Ele assinou o decreto a pedido de Jader, cujo ministério pagou, na época, mais de 55 mil TDAs, algo em torno de R$ 5 milhões. A convocação do ex-presidente ainda não tem data marcada. Ele está de licença médica e em viagem para o exterior, de onde só retorna no fim de julho.Até lá, a PF pretende ouvir todos os envolvidos na venda dos TDAs. Jader deverá ser ouvido por último. A PF também deverá pedir a quebra de sigilo bancário de Serafim e de Vera, já que os dois afirmaram que deram vários cheques para Vicente de Paula pela compra dos TDAs.Vicente de Paula nega que tenha feito negociação em TDAs com Serafim e sua mulher. Segundo ele, uma outra pessoa teria feito a intermediação na negociação, envolvendo um banco já extinto. "O Serafim queria negociar os títulos com gado e fazenda e eu não aceitei", disse Vicente. Os TDAs foram cancelados em 99 pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), depois da constatação das irregularidades na desapropriação da fazenda.Na superintendência do Incra no Pará ninguém sabe o destino do processo administrativo que apurou a suposta fraude na desapropriação, que poderia esclarecer quem autorizou a iniciação do processo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.