PF pede quebra do sigilo telefônico de Protógenes

A Polícia Federal pediu a quebra do sigilo telefônico do delegado Protógenes Queiroz, mentor da Satiagraha - investigação contra Daniel Dantas, do Grupo Opportunity. A PF quer identificar chamadas e mensagens feitas e recebidas por Protógenes durante período de 5 meses, entre julho e novembro de 2008. Ele é o alvo maior do inquérito da Corregedoria da PF que corre sob segredo de Justiça. O inquérito apura supostos abusos do delegado que prendeu Dantas duas vezes, no auge da Satiagraha.O acesso aos contatos reservados do delegado é o passo final da PF no cerco que realiza a Protógenes. O rastreamento pedido à Justiça Federal abrange todas as suas linhas fixas e móveis. A PF atribui a Protógenes quebra de sigilo funcional, emprego ilegal de agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e monitoramento clandestino de autoridades, políticos, advogados e jornalistas.Dados apurados pela PF mostram que podem ter caído na malha fina de Protógenes o senador Heráclito Fortes (DEM-PI), o ministro Geddel Vieira (Integração Nacional), a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), o ex-ministro José Dirceu, o secretário particular do presidente Lula, Gilberto Carvalho, e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, entre outros, segundo matéria da revista Veja. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.