PF pede indiciamento de deputados em Rondônia

A Polícia Federal encaminhou besta segunda ao Tribunal de Justiça de Rondônia inquérito pedindo o indiciamento de oito deputados estaduais e um ex-deputado, acusados de formação de quadrilha e tentativa de extorsão. O inquérito está baseado em gravações de vídeo feitas pelo governador Ivo Cassol (PPS), onde parlamentares lhe pediam R$ 50 mil por mês em troca de apoio na Assembléia Legislativa. Agora o Tribunal de Justiça encaminhará o inquérito ao Ministério Público do Estado, que poderá ou não oferecer denúncia.A PF pede indiciamento do presidente da Assembléia, Carlão de Oliveira (PSL), do vice-presidente, Kaká Mendonça (PTB), dos deputados Haroldo Santos (PP), Ronilton Capixaba (PL), Ellen Ruth (PP), Amarildo Almeida (PDT), Daniel Néri (PMDB) e João da Muleta (PMDB) e também do ex-deputado Emilio Paulista (sem partido), que renunciou quando o escândalo estourou.Carlão de Oliveira, de 51 anos, disse estar tranqüilo e calmo, e que agora espera uma oportunidade para se defender. "Só quero que o processo siga os trâmites legais. Até agora não fui ouvido. Quando for chamado para dar uma explicação, esclarecei o que for preciso", destacou.Ele lembrou que chegou a ser afastado do cargo de deputado por decisão judicial quando as denúncias começaram a aparecer, mas que retornou por decisão do então presidente do Supremo Tribunal Federal, Nelson Jobim. "Fui afastado sem ser ouvido", destaca.Outros inquéritosO superintendente da PF, Joaquim Mesquita, de 36, disse que há mais 15 inquéritos em andamento, que agora estão entrando em fase final, devendo depois serem encaminhados à Justiça. Mesquita também encaminhou ao Judiciário as fitas e o material de filmagem encontrados na casa de Cassol.Caso o Ministério Público decida apresentar denúncia contra os acusados, deverá ser iniciado processo contra Emílio Paulista, que está sem mandato. Para processar os deputados, o Tribunal de Justiça dependerá de autorização da Assembléia Legislativa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.