PF ouve uruguaio sobre morte de Jango

A Polícia Federal tomou na tarde de terça-feira o depoimento do uruguaio Mario Neira Barreiro, que está preso em Charqueadas (RS) e disse ter participado do plano para envenenar o ex-presidente João Goulart, a mando do regime militar brasileiro, em 1976. As informações colhidas pelos policiais foram enviadas à sede do órgão, em Brasília. Se forem consideradas consistentes, a PF poderá investigar o caso. Barreiro, preso por tráfico de armas, entre outros crimes, disse que era do Serviço de Inteligência uruguaio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.