PF marca entrevista sobre contrabando em Manaus

O superintendente regional da Receita Federal, José Tostes, desembarca em Manaus, vindo de Belém, nesta quarta-feira, para acompanhar de perto as investigações sobre a possível participação da CCE em um grande esquema de contrabando de equipamentos eletroeletrônicos na Zona Franca de Manaus. Aproveitando a presença de Tostes em Manaus, o superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Carlos Lacerda Júnior, marcou para quinta-feira, dia 21, às 15 horas, uma entrevista coletiva na sede da Receita Federal, em Manaus. Os dois esperam, até lá, esclarecer alguns pontos ainda indefinidos no caso. A quebra do sigilo bancário das empresas envolvidas no caso, solicitada pela Polícia Federal do Amazonas, também será outro assunto a ser abordado na entrevista. Esses pedidos fazem parte de dois inquéritos que apuram suspeita contra a empresa de componentes DM Eletrônica, cujos responsáveis fazem parte também da diretoria da CCE. Os nomes das empresas que terão sigilo quebrado ainda não foram oficialmente revelados, mas tudo indica que uma delas é a CCE da Amazônia, presidida por Isaac Sverner e que tem como diretores Daniel Lewin, Fisel Perl e José Radomysler, principais acionistas da DM Eletrônica.Outro ponto ainda obuscuro no inquérito é com relação à descoberta, em janeiro, de caixas com mercadoria com a marca da CCE contrabandeadas nos contêineres da DM Eletrônica abertos pela Polícia Federal. Nestes contêineres apreendidos, foram encontrados produtos acabados como rádio-gravadores e microsystems, todos importados como se fossem insumos para a industrialização.A denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal no Amazonas sobre o envolvimento da DM Eletrônica está em andamento na 12ª Vara, em Brasília, que tem como titular o juiz Marcos Vinícius Reis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.