PF investiga suposta violação de sigilo bancário de Eduardo Jorge; Banco do Brasil diz não haver indícios de ação

Justiça obriga Banco do Brasil a ceder dados do sistema de controle para apuração

Equipe AE

03 de setembro de 2010 | 14h03

BRASÍLIA -

Na sequência de revelações de quebra de sigilos fiscais de nomes ligados a José Serra pela Receita Federal, a Polícia Federal investiga também o Banco do Brasil por suposta ação ilegal para violar o sigilo bancário de Eduardo Jorge, vice-presidente do PSDB.

 

O jornal O Globo relatou na edição desta sexta, 3, que a PF encaminhou pedido à Justiça para que o BB seja obrigado a fornecer dados do sistema de controle.

 

O BB divulgou nota hoje em que afirma que, até o momento, "não foi identificado qualquer fato que indique violação de sigilo, nem que aponte nessa direção".

 

Na nota, o BB reitera "o zelo pela integridade e segurança dos dados de quem mantém relacionamento com o Banco" e diz que recebeu ofício da Justiça e que vai se manifestar na forma processual.

 

Veja a íntegra da nota:

"Sobre informações divulgadas hoje (03.09) no jornal O Globo, o Banco do Brasil reitera o zelo pela integridade e segurança dos dados de quem mantém relacionamento com o Banco. Até o momento, não foi identificado qualquer fato que indique violação de sigilo, nem que aponte nessa direção.

O Banco do Brasil lamenta ainda que a Instituição, que tem ações negociadas em Bolsa, seja exposta na cobertura jornalística, sem a apresentação de dados concretos.

O Banco recebeu Ofício da Justiça e vai se manifestar, adequadamente, na forma processual"

Tudo o que sabemos sobre:
Banco do Brasilviolaçãosigilo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.