PF investiga sumiço de portugueses

A Polícia Federal no Ceará revelou hoje à tarde os nomes dos seis empresários portugueses que estão desaparecidos no Brasil desde o dia 11. São eles: Luiz Miguel Guerreiro, de 31 anos, que reside em Fortaleza com visto temporário; Vitor Manoel Martins, de 53 anos; Joaquim Silva Mendes, de 52 anos; Manoel Joaquim Barros, de 55 anos; Antônio Correa Rodrigues, de 51 anos; e Joaquim Manoel Pestana Costa, de 49 anos. O delegado regional da PF, Francisco Sá Cavalcante, não descarta a possibilidade do grupo ter sido seqüestrado, mas também trabalha com a possibilidade dos portugueses estarem numa praia cearense.Eles chegaram ao Brasil, através de Recife, no dia 11, num vôo da empresa aérea portuguesa TAP e seguiram num vôo da Varig para Fortaleza, onde desembarcaram na madrugada do dia 12. O retorno a Portugal estava marcado para ontem, mas o grupo não compareceu ao embarque e nem haviam feito o cancelamento do vôo.No dia 12, cinco dos seis empresários eram esperados no aeroporto de Fortaleza por um casal de amigos, o português Luiz Miguel Guerreiro e sua mulher, uma brasileira de identidade não revelada. Guerreiro mora em Fortaleza e aguarda autorização de residência permanente no Brasil. De acordo com a polícia cearense, os portugueses não chegaram ao hotel Hollyday Inn, na praia de Iracema, onde tinham reserva. Passados dois dias da chegada do grupo de empresários, o casal português que reside no Brasil também desapareceu.De acordo com o que a PF apurou até o momento, foram feitos, na capital cearense, saques em suas contas no valor de R$ 25 mil. A polícia está rastreando essas contas e solicitou dos bancos as fitas para saber se os saques foram feitos por eles ou por terceiros. Também foram realizadas compras em lojas de Fortaleza com cartões de crédito deles. Agentes federais foram a essas lojas investigar se foram os próprios portugueses que fizeram as compras.A agência de notícias AFP, em Lisboa, informou que os seis empresários são do setor da construção. Ainda de acordo com a agência, os familiares dos empresários, preocupados com a ausência de notícias desde a partida do grupo de Lisboa, avisaram à polícia. A imprensa portuguesa tem informado que os seis homens já retiraram de suas contas uma quantia equivalente a US$ 80 mil, valor não confirmado pela PF no Ceará.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.