PF investiga documentos de irmão de Bin Laden

O Departamento de Polícia Federal (DPF), em Brasília, confirmou nesta terça-feira que o Centro de Inteligência do órgão está analisando o conteúdo de uma série de documentos pertencentes ao cônsul do Brasil em Jedá, na Arábia Saudita, Khalil Mohammed bin Laden. O empresáriosaudita, casado com a brasileira Izabel Cristina Castanheira Bayma, é um dos 53 irmãosdo terrorista Osama bin Laden, acusado de ser o mentor do atentado de 11 desetembro de 2001, nos Estados Unidos. O malote de documentos, redigidos em árabe, inglês e português, chegou ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, região metropolitana da capital mineira naprimeira semana de outubro. O sobrenome famoso do remetentedespertou a desconfiança de agentes da Receita Federal, que interceptaram acorrespondência. Os documentos, despachados de Jedá, estavam destinados aoendereço da psicóloga Tânia Pedrosa, que mora na região noroeste de Belo Horizontee teria relações de amizade com a mulher de Khalil. Ela não foi localizada para falarsobre o assunto. A Polícia Federal verificou que a correspondência, além de diversos documentos,continha cheques do empresário saudita. Os policiais esperaram o malote chegar aolocal de destino para identificar o verdadeiro proprietário. Um sobrinho da mulher docônsul - cujo nome não foi revelado - teria interceptado a correspondência e foiconduzido até a sede da PF no Estado, onde prestou depoimento.Após ser comunicado do fato, Khalil, que afirma ter negócios na capital mineira, prestou,espontaneamente, explicações aos policiais federais na sede da superintendência deMinas. O irmão de Osama bin Laden, que teria permanecido hospedado num luxuosoapartamento da zona sul de Belo Horizonte do dia 26 de setembro a dia 31 de outubro,disse aos policiais que pediu emprestado o endereço da psicóloga para evitarespeculações da imprensa.O conteúdo do malote, segundo ele, estava restrito a documentos comerciais. Os cheques seriam usados para o pagamento de compromissos de suas empresas no exterior e necessitariam de sua assinatura. Os valores, de acordo com policiais, eram pequenos e variados. Depois de depor, Khalilrecebeu de volta todo o conteúdo de sua correspondência.Dono de uma fortuna estimada em US$ 58 milhões, o empresário saudita conheceu abrasileira Izabel Cristina nos Estados Unidos. O casal tem dois filhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.