PF investiga caixinha encontrada por Inocêncio

Dois agentes da Seção de Criminalística da Polícia Federal deixaram há pouco o apartamento do líder do PFL na Câmara e candidato à presidência da Casa, deputado Inocêncio Oliveira (PE), que encontrou uma caixinha preta no telefone da sala de seu apartamento em Brasília e suspeita tratar-se de grampo telefônico. Os agentes não quiseram identificar-se, mas disseram que só dentro de três horas terão condições de afirmar se o aparelho encontrado é de grampo telefônico. O vice-líder do PFL na Câmara, deputado José Carlos Aleluia (BA), disse achar que o grampo tem relação com a disputa pela presidência da Câmara."Claro que tem relação, e é uma prática criminosa", afirmou. Ele contou que o diretor-geral da Câmara, Adelmar Sabino, ainda se encontra no apartamento de Inocêncio, juntamente com o chefe da Segurança a Câmara, de nome Valério.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.