PF indicia 44 por fraudes em licitações no Pará

A Polícia Federal entregou o inquérito com indiciamento de 44 pessoas acusadas de fraudes em licitações na Companhia Docas do Pará (CDP), na última segunda-feira, para o juiz federal Rubens Rollo D´Oliveira. Entre os nomes está o ex-senador pelo PSB, Ademir Andrade, e seu filho, o vereador do partido por Belém, Cássio Andrade, além de Aldenor Júnior, ex-chefe de gabinete do ex-prefeito de Belém pelo PT, Edmilson Rodrigues.O desvio de dinheiro público, segundo o delegado da PF, Caio Bezerra, ultrapassa R$ 42 milhões. As provas foram colhidas durante auditoria realizada pela Controladoria Geral da União (CGU).Ademir, que concorre a deputado federal na eleição de outubro, e seu filho negam qualquer irregularidade e dizem que provarão em juízo que são inocentes. O ex-senador era presidente da CDP até o dia 25 de abril deste ano, quando foi preso juntamente com outras 17 pessoas, entre diretores da estatal e empresários. Aldenor também refuta as acusações do relatório. Os indiciados responderão por crimes como corrupção ativa e passiva, peculato, prevaricação e formação de quadrilha. Também foram enquadrados em diversos dispositivos da lei de licitações por adotarem procedimentos irregulares de dispensa ou para fraudar a competitividade entre as empresas prestadoras de serviços ou de bens à CDP.Um dos casos citados se refere a apreensão de uma pasta com o logotipo da CDP onde aparecem manuscritos da prestação de contas de Ademir Andrade com uma empresa de outdoor de Belém. Ela forneceria material de propaganda política ao ex-senador e seu filho. A conta, diz a PF, era paga por empresas que tinham contratos com a CDP.D´Oliveira determinou a remessa do caso à Procuradoria Geral da República para que seja feita a denúncia contra os envolvidos ou a requisição de novas diligências.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.