PF indicia 14º suspeito por fraude na Assembléia do RS

A Polícia Federal (PF) pretende concluir apenas no dia 16 de março o inquérito instaurado em julho de 2007 para apurar o desvio de selos na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul. Até o momento, 14 pessoas já foram indiciadas, entre elas dois deputados estaduais, por crimes de corrupção ativa e passiva, peculato, formação de quadrilha e uso de documento falso. O último suspeito a ser indiciado, hoje, foi um assessor de um deputado estadual, por peculato. A PF também informou ter apreendido em um escritório de contabilidade documentos relacionados à empresa MR serviços e a investigados. Nos próximos dias, a polícia vai retirar as 36 fitas com arquivos de e-mail retidas na Assembléia Legislativa gaúcha para enviá-las à perícia. De acordo com a PF, o esquema funcionava desde 2004 e consistia no desvio de selos da Casa para terceiros. Estima-se que a fraude tenha causado prejuízo de R$ 3,3 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.