Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

PF faz buscas na Refinaria Abreu e Lima e na casa de sócio de Eduardo Campos

Em nova fase da Lava Jato, policiais estiveram, nesta terça-feira, em instalações da Petrobrás em Ipojuca, região metropolitana do Recife, e em residência do empresário Aldo Guedes

Daniel Carvalho e Talita Fernandes, O Estado de S. Paulo

14 de julho de 2015 | 13h18

Atualizado às 17h04

BRASÍLIA - A Refinaria Abreu e Lima e um sócio do ex-governador Eduardo Campos (PSB) foram alvo da operação da Polícia Federal no âmbito da Operação Lava Jato em Pernambuco nesta terça-feira (14). Os policiais também estiveram nas casas do senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) e do líder do PP na Câmara, Eduardo da Fonte (PP-PE).

A Polícia Federal apreendeu ao menos duas declarações de Imposto de Renda no apartamento do senador Fernando Bezerra (PSB-PE), no Recife. A informação foi confirmada pelo filho do parlamentar, o líder do PSB na Câmara, Fernando Filho.

Um terceiro documento também foi recolhido pelos policiais na manhã desta terça-feira, 14, mas o deputado não soube informar do que se tratava. "Nada que não fosse público", disse o líder do PSB na Câmara.

A PF foi recebida pela mulher do senador, porque ele já se estava em Brasília no momento da operação. "Ele foi pego de surpresa", afirmou Fernando Filho, que disse que a operação foi "super tranquila".

Fernando Filho reafirmou que seu pai está à disposição para dar os esclarecimentos necessários à Justiça e que ele aguarda a marcação da data de seu depoimento

O Estado apurou que os policiais federais estiveram no começo desta manhã nas instalações da refinaria, em Ipojuca, região metropolitana do Recife.

Empresário. Eles também estiveram na casa do empresário Aldo Guedes Álvaro e em uma de suas empresas, a Jacarandá Negócios e Participações. Álvaro era sócio de Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo em agosto do ano passado, em uma fazenda em Brejão, interior de Pernambuco. A Polícia Federal já investigava se Álvaro era o verdadeiro dono do avião, que caiu em 13 de agosto de 2014 em Santos (SP).

Os policiais federais também fizeram busca e apreensão na empresa ADPL Motors, do líder do PP na Câmara. A PF também esteve no apartamento de Eduardo da Fonte e da mãe dele, em um edifício de luxo na orla de Boa Viagem, zona sul do Recife, e na casa de Francisco Maurício Rabelo, sócio de Eduardo da Fonte na empresa.

A PF também foi à residência de um homem identificado como Caio Lins da Cunha Filho.

A Polícia Federal apreendeu nestes locais uma quantia ainda não contabilizada em euros e reais, notebooks, discos rígidos e documentos.

A Petrobrás informou que não se pronunciaria até ter todas as informações a respeito da operação desta manhã. Eduardo da Fonte disse estar à disposição da Justiça para “colaborar no que for possível para esclarecer todos os fatos”. Fernando Bezerra informou manifestar “confiança no trabalho das autoridades que conduzem este processo investigatório e continua, como sempre esteve, à disposição para colaborar com os ritos processuais e fornecer todas as informações que lhe forem demandadas”.

O Estado não conseguiu contato com os demais alvos da operação da Lava Jato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.