PF faz busca e apreensão na sede do PMDB em Fortaleza

Agentes procuraram material de campanha proibido em favor de deputado

Carmen Pompeu, O Estadao de S.Paulo

23 de maio de 2009 | 00h00

O Ministério Público Eleitoral e a Polícia Federal cumpriram ontem pela manhã, na sede do PMDB em Fortaleza, mandado de busca e apreensão assinado pelo juiz do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Haroldo Correia de Oliveira Máximo. Os agentes procuravam material de campanha antecipada em favor do deputado federal Eunício Oliveira, que é pré-candidato do partido a uma das duas vagas do Ceará no Senado, nas eleições do ano que vem. Nada foi encontrado.De acordo com o procurador regional eleitoral Alessander Sales, mesmo sem a apreensão do material na sede do PMDB, o Ministério Público vê fortes indícios de propaganda eleitoral antecipada e proibida. Ele toma por base um encontro realizado no dia 15 deste mês, em um hotel de Fortaleza, no qual um grupo de vereadores e algumas modelos vestiam camisetas e bonés com o slogan "A União é a Nossa Fortaleza". A frase, que supostamente foi formulada em favor do deputado, também estampava banners.O encontro foi organizado pelo vereador Marcelo Mendes (PTC) e contou com a presença de Eunício Oliveira. O fato foi noticiado, no dia seguinte, pelo jornal cearense O Povo como uma declaração de apoio à candidatura do peemedebista ao Senado."A estratégia do grupo político - que já confeccionou até camisas, banners e bonés - é antecipar a campanha e elevar o mais rápido possível os índices de popularidade de Eunício na capital, levando-o, a partir do próximo mês, às comunidades onde os parlamentares têm influência", afirmou o jornalista Ítalo Coriolano, autor da reportagem.Segundo material publicado no jornal cearense, Eunício teria dito que recebera "com surpresa" a notícia da iniciativa dos vereadores. "Foi um movimento espontâneo", declarou o deputado, conforme o jornal.Hoje, o vereador Marcelo Mendes admitiu a jornalistas ter mandado confeccionar camisetas e bonés, mas frisou que o movimento não tem cunho eleitoral. Na mesma matéria de O Povo sobre o encontro no hotel, ele teria prestado a seguinte declaração: "Nós precisamos popularizar, levar a presença física do deputado Eunício Oliveira nas nossas comunidades, para que o povo se emocione e abrace também a causa de levar Eunício ao Senado."Procurado pelo Estado, o secretário geral do PMDB cearense, João Alves de Melo, disse que tudo não passou de "um grande mal entendido". Segundo ele, motivado pela notícia do encontro publicada no jornal cearense, o procurador pediu a vistoria na sede do partido."Vieram ao lugar errado. Acompanhei a visita. Eles (Ministério Público Eleitoral e Polícia Federal) vasculharam armários e arquivos e não acharam nada", comentou. Melo disse ainda que o encontro no hotel não teve conotação política.Segundo ele, os vereadores se reuniram com Eunício Oliveira com a finalidade de pedir o apoio dele no sentido de atrair recursos para recuperar os estragos provocados pelas chuvas nos bairros de Fortaleza.Ele também negou que os participantes estivessem usando camisetas e bonés com o slogan "A União é a Nossa Fortaleza". De acordo com o secretário do PMDB, essa era uma ideia que só seria posta em prática no próximo encontro, em julho.Procurado pelo Estado, o jornal O Povo reafirmou que os convidados do encontro promovido pelo vereador Marcelo Mendes usavam as camisetas e bonés que favoreceriam uma candidatura de Eunício. O jornal garantiu ainda ter fotos provando a informação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.