PF evitou confronto em desocupação de fazenda

A desocupação da fazenda Córrego da Ponte, dos filhos do presidente Fernando Henrique Cardoso, foi decidida em uma reunião que começou na noite de ontem e terminou pela madrugada, entre os ministros da Justiça, Aloysio Nunes Ferreira; do Desenvolvimento Agrário, Raul Jungmann; do Gabinete de Segurança Institucional, general Alberto Cardoso, e o diretor-geral da Polícia Federal, Agílio Monteiro Filho. A decisão de entrar na fazenda para retirar os sem-terra que invadiram o local no sábado, foi tomada por volta das 5 horas da manhã, quando Monteiro Filho deu a ordem para o chefe do Comando de Operações Táticas (COT) da PF, Daniel Sampaio, entrar na propriedade com os 70 agentes do COT e da superintendência da PF em Brasília. "Fizemos tudo para que não houvesse confronto", afirmou o diretor-geral da PF. Segundo fontes do governo, na semana passada surgiram boatos em Buritis, que a fazenda poderia ser invadida, mas o setor de inteligência não detectou, durante a semana, nenhuma manifestação neste sentido. A PF negou que mantinha um grupo de inteligência na área.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.