PF entra em greve em Alagoas

Os policiais federais de Alagoas entraram em greve, por tempo indeterminado, hoje pela manhã, seguindo a greve nacional da categoria, que reivindica do governo o cumprimento da Lei 9.266/96, que garante aos agentes de polícia, escrivães e papiloscopistas o vencimento básico de nível superior. Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Federais de Alagoas, Jorge Venerando, a greve no Estado atinge 100% da categoria.Apenas os serviços essenciais estão sendo mantidos por funcionários e delegados que não entraram em greve. A paralisação atinge não só o serviço burocrático da PF, em Maceió, mas também o policiamento no porto e no aeroporto. Durante a assembléia permanente, hoje pela manhã, na frente da sede da instituição em Maceió, os policiais em greve entregaram suas armas e os cargos de chefia para a superintendência. Em seu discurso, durante a assembléia, o presidente do Sinpofal, Jorge Venerando, que faz parte do comando nacional de mobilização, confirmou que o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, estaria respondendo a inquérito que corre em segredo de justiça, em São Paulo. "Não adianta grampear telefones e nem fazer ameaças às lideranças do nosso movimento. Temos consciência que estamos lutando pelo cumprimento da lei. Portanto, as informações que tivermos do envolvimento de qualquer autoridade sobre ilícitos penais, nós vamos passá-las à imprensa", afirmou Venerando.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.