Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

PF encontra corpos dos portugueses desaparecidos

A Polícia Federal encontrou nesta tarde os seis corpos dos empresários portugueses desaparecidos desde a madrugada do dia 12, em Fortaleza. Eles estavam enterrados na cozinha da boate Vela Latina, na parte velha da Praia do Futuro, em Fortaleza. Os portugueses foram mortos a tiros, facadas, pauladas e por sufocamento, provavelmente na mesma madrugada. Preso ontem no Maranhão, Luís Miguel Militão Guerreiro, português radicado no Brasil e apontado como principal suspeito pelo sumiço dos empresários, negou participação nos assassinatos, em depoimento prestado hoje à tarde em Teresina (PI).Segundo a polícia, Luís Miguel contou com a ajuda de três seguranças que trabalhavam para ele na boate para matar os empresários. A mulher de Guerreiro, Maria Leandro Cavalcante, e mais dois cunhados também participaram do crime. No início, os agentes federais encontraram apenas três dos corpos em uma cova coberta por duas camadas de cimento. Mas os três seguranças que participaram do crime foram levados ao local e indicaram onde as outras vítimas estavam enterradas.De acordo com o que foi apurado, o crime foi cometido por motivos financeiros. Sem dinheiro, Luís Miguel atraiu seus conterrâneos com mulheres de programa para a boate e os assassinou. Depois, começou a gastar o dinheiro das vítimas, através de seus cartões bancários e de crédito.Os seis portugueses mortos são António Correia Rodrigues, Joaquim Manuel Pestana da Costa, Vítor Manuel Martins, Joaquim Fernandes Martins, Joaquim Silva Mendes e Manuel Joaquim Barros.O cônsul de Portugal, no Ceará, Carlos Pimentel de Matos lamentou o ocorrido e disse que o caso poderia ter ocorrido em qualquer lugar do mundo. Pimentel informou que familiares de um dos empresários já estão em Recife, a caminho de Fortaleza. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal.A viagem - O grupo chegou ao Brasil, via Recife, no dia 11, num vôo da empresa aérea portuguesa TAP e seguiu de Varig para Fortaleza, onde desembarcou à 1h do dia 12. De acordo com a polícia cearense, os portugueses não chegaram ao hotel Holliday Inn, na Praia de Iracema, onde tinham reserva. Nem cancelaram a reserva. O retorno a Portugal estava marcado para o dia 21. Mas eles não compareceram ao embarque e nem haviam feito o cancelamento. As famílias estranharam e comunicaram a polícia da falta de notícias.Os empresários foram recebidos no aeroporto de Fortaleza pelo casal, Guerreiro e Maria Leandra Cavalcante. Dois dias após a chegada do grupo de empresários, Guerreiro e a mulher também desapareceram. Mas antes, nos dias 13, 14 e 15, de acordo com a PF, o "anfitrião" fez compras em lojas de Fortaleza com o cartão de um dos empresários: Vítor Manuel Martins. Das contas bancárias dos empresários foram sacados R$ 25 mil.Durante a investigação os agentes da PF descobriram que Guerreiro tem antecedentes criminais em Portugal. Em consulta à Interpol, a PF verificou que ele foi condenado a um ano de prisão, por envolvimento em furto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.