PF é 'republicana' e investiga qualquer um, até Lula, diz ministro da Justiça

Na semana passada, procurador pediu abertura de inquérito contra o ex-presidente

CARLA ARAÚJO, Agência Estado

11 Abril 2013 | 16h33

SÃO PAULO - O ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, afirmou nesta quinta-feira, 11, que a Polícia Federal (PF) é "republicana" e está apta a investigar qualquer cidadão, inclusive o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A afirmação foi uma resposta a pergunta sobre se a PF teria autonomia para investigar Lula, após o pedido de instauração de inquérito para apurar o suposto envolvimento dele no escândalo do mensalão. Cardozo foi questionado durante audiência pública na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

A Procuradoria da República no Distrito Federal pediu na última sexta-feira, 5, à PF a abertura de inquérito para apurar a acusação do empresário Marcos Valério segundo a qual Lula teria negociado, no início de seu mandato, repasses ilegais para o PT com Miguel Horta, então presidente da Portugal Telecom. Trata-se do primeiro inquérito aberto formalmente para investigar o conteúdo do depoimento que Valério prestou à Procuradoria-Geral da República, em setembro do ano passado.

Questionado na terça-feira, 9, sobre o pedido de abertura de inquérito, Lula se recusou a comentar. "Não vou falar sobre isso", disse, após participar dabertura da exposição Gênesis, do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, no Museu de História Natural de Londres, na Inglaterra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.