PF e Ibama encontram carregamento de mogno no PR

A Polícia Federal e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) encontraram, na noite de ontem, cerca de 3.400 metros cúbicos de mogno em um depósito em Paranaguá, no litoral paranaense. A carga não possui autorização de transporte. O Ibama ainda não terminou a análise do produto para saber ao certo a quantidade. Cada metro cúbico de mogno destinado à exportação custa R$ 1,8 mil.Segundo as informações, três madeireiras da região metropolitana de Curitiba seriam as responsáveis pelo mogno. O chefe do escritório do Ibama em Paranaguá, Lício Domit, disse que o produto será apreendido pelo órgão assim que for conferido o volume correto. Por determinação do Ibama, o transporte de mogno no País está proibido desde outubro do ano passado. "Mesmo que essa carga seja anterior à instrução, ela não tem cobertura para o transporte", disse Domit.No fim do ano passado, outro carregamento, com cerca de 1.100 metros cúbicos de mogno, já tinha sido apreendido no Porto de Paranaguá, em razão de um trabalho intenso de fiscalização. O mogno normalmente é retirado da região amazônica e exportado por Paranaguá, um dos portos que mais enviam esse tipo de madeira para o exterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.