PF diz ter flagrado uso de satélite militar dos EUA

A Polícia Federal realizou ontem uma operação para interromper o uso criminoso de satélites militares americanos para comunicação a partir de pontos do território brasileiro. Em cumprimento a 20 mandados expedidos pela 2ª Vara Federal de Florianópolis, os agentes federais apreenderam durante a Operação Satélite diversos transmissores, rádios, antenas e acessórios utilizados para a comunicação clandestina nos Estados de Minas, Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Santa Catarina. Um homem, cujo nome não foi divulgado, foi preso em flagrante em Unaí (MG).Com a operação, a PF acredita ter identificado os usuários e fabricantes dos sistemas clandestinos. Além de apreender os equipamentos, a operação visa a decifrar a motivação do uso ilegal dos satélites Fleetsat-8 e UFO. A frequência e a direção dos satélites eram localizadas por transceptores e antenas fabricados de forma "caseira". No Brasil o Fleetsat é conhecido vulgarmente como satélite "bolinha". Conforme fontes da PF, satélites desse tipo foram lançados entre 1975 e 1992 e permaneceriam ativos, com intensa utilização. A suspeita é de que os usuários ilegais dos satélites tenham ligação com o narcotráfico ou o crime organizado.Durante a apuração policial verificou-se que o crime era praticado originalmente em Minas. Dos 20 mandados de busca e apreensão expedidos, 10 foram cumpridos em cidades mineiras: Caratinga (6), Governador Valadares (2), Ubaporanga (1) e Uberlândia (1). Segundo a PF, os infratores identificados poderão ser indiciados por crime previsto na Lei Geral das Telecomunicações, que trata das penalidades para quem desenvolver clandestinamente atividades de telecomunicação. As penas variam de 2 a 4 anos de prisão, além de multa. O material apreendido será analisado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.