PF diz ter encontrado arma usada no crime de Unaí

A Polícia Federal encontrou a pistola usada por Erinaldo Silva para matar três dos quatro servidores do Ministério do Trabalho emboscados perto de Unaí (MG). A arma foi apreendida na sexta-feira passada em uma fazenda no município de Vila Boa de Goiás, a pouco mais de 100 quilômetros de Brasília. A descoberta da arma do crime é uma prova fundamental do inquérito, cujo quebra-cabeças começa a se fechar. Até agora, estão presos sete envolvidos na chacina dos três fiscais e do motorista do Ministério do Trabalho, entre os quais três pistoleiros, o funcionário de um hotel que deu cobertura, o contratante e dois funcionários dele, inclusive o capataz. Os pistoleiros e um funcionário do contratante já confessaram a participação. O próximo passo é prender os mandantes, mas o principal suspeito, o fazendeiro Norberto Mânica, continua se esquivando. A PF está com dificuldades para intimar Norberto porque ele tem muitas propriedades. Maior produtor de feijão do Brasil, ele possui, além das propriedades em Unaí, tem duas fazendas no Paraná. Uma delas ele comprou recentemente por meio de um advogado da família. O fazendeiro é dono ainda de uma grande propriedade no núcleo rural chamado PADF, localizado na região geoeconômica de Brasília. O delegado encarregado do inquérito, Antônio César dos Santos, informou que a pistola 380 ainda está sendo periciada, mas já há quase cem por cento de certeza de que é a mesma usada pelo pistoleiro. Um revólver calibre 38, encontrado no final de semana no Lago Paranoá, também está sendo periciado para se verificar se é a segunda arma usada na chacina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.