PF diz que há três foragidos no caso Arruda

O diretor-geral da Polícia Federal (PF), Luiz Fernando Corrêa, disse que dos cinco que tiveram a prisão decretada pelo ministro Fernando Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça, três são considerados foragidos e estão sendo procurados pela PF, embora os respectivos advogados tenham avisado que seus clientes vão se apresentar. São eles: o ex-deputado Geraldo Naves (DEM), que teria levado a proposta de suborno ao jornalista Edson Sombra; o ex-secretário de Comunicação, Wellington Moraes; e o diretor da Companhia Elétrica de Brasília, Haroaldo de Carvalho, ambos envolvidos no episódio da tentativa de corrupção de testemunhas, o que motivou a prisão do governador licenciado, José Roberto Arruda (sem partido).

VANNILDO MENDES, Agencia Estado

12 de fevereiro de 2010 | 12h42

Luiz Fernando Correa disse que recebeu ontem, com naturalidade, a recomendação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que a PF agisse com cautela ao efetuar a prisão do governador. "Foi apenas a reafirmação de uma postura que a PF já adota como conduta na sua rotina operacional, de não permitir a exposição de presos, sejam eles quem for, e de preservar o direito constitucional da garantia da imagem", afirmou.

O delegado disse que visitou o governador ontem à noite para se certificar se estavam atendidas as determinações previstas em lei, em relação à prisão de chefes de governo, e informou que ele está preso na sala da Diretoria Técnica e Científica da PF. Segundo Corrêa, a presença do governador não atrapalha o funcionamento da repartição, porque a sala fica fora do fluxo operacional. "O gabinete foi adaptado para cumprir o que prevê a lei, ou seja, uma sala de Estado Maior."

Aliados

Pequenos grupos de aliados do governador licenciado José Roberto Arruda, estão começando a chegar à Superintendência da Polícia Federal, onde ele está preso. Os populares carregam faixas e cartazes em apoio ao governador, com as frases: "Arruda vá até o fim, Brasília depende de você para continuar organizada" e "Quem ama Brasília torce por Arruda". Um dos grupos formados por senhoras evangélicas está munido de megafone com mensagem como "Segura na mão de Deus, que vai dar certo".

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoDEMDFforagidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.