PF desmonta versão de Renan sobre origem do dinheiro

A esperança do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) de salvar o mandato com a perícia que o Senado encomendou à Polícia Federal nos seus documentos de defesa caiu por terra. O laudo conclusivo, feito pelo Instituto Nacional de Criminalística (INC) da PF, foi entregue ontem à noite ao Senado. Aponta inconsistências na evolução patrimonial de Renan, sobretudo em 2005, e não prova, como queria o senador, que saiu do bolso dele o dinheiro para pagar a pensão da jornalista Mônica Veloso, com a qual ele tem uma filha fora do casamento. Os saques, que o senador apresentou como prova, não batem com os valores nem com as datas de entrada de dinheiro na conta de Mônica.Os documentos não provam que ele vendeu gado, muito menos nas quantidades que afirma. Todo o resto da defesa fica prejudicada porque o seu patrimônio é escorado na venda do gado, sua principal fonte de ganhos. Assim, a legitimidade do patrimônio fica contaminada.Uma cópia do laudo será entregue hoje ao STF, onde foi aberto inquérito pelo Ministério Público Federal para investigar suspeitas de enriquecimento ilícito, uso de documentos falsos, prevaricação e crime financeiro que pesam contra o senador. Segundo autoridades que tiveram acesso ao trabalho dos peritos, a impressão é de que Renan maquiou o patrimônio para justificar o pagamento da pensão, mas faltou cuidado na hora de fechar as contas, às pressas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.