PF desmente Protógenes sobre parcerias com Abin

Polícia Federal afirma que "troca de informações" aconteceu apenas durante a Operação Satiagraha

ANA PAULA SCINOCCA, Agência Estado

09 de abril de 2009 | 17h52

A Polícia Federal (PF) desmentiu nesta quinta-feira, 9, informação do delegado Protógenes Queiroz sobre a parceria entre a corporação e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) em operações. Na véspera, ao depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Grampos, na Câmara, o ex-chefe da Operação Satiagraha disse ser comum a participação de arapongas em ações da PF.

 

Veja também:

Abin já participou de 160 operações da PF, diz Protógenes

especialPerfil: Quem é o delegado Protógenes Queiroz

especialAs versões de Protógenes

especialEntenda a Operação Satiagraha

especialAs prisões de Daniel Dantas

especialOs alvos da Operação Satiagraha 

 

"A questão da participação da Abin, há uma lei que regulamenta, e o entendimento já é recepcionado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Está dentro da legalidade a participação da Abin em ações da PF. E não foi apenas na Satiagraha, foram mais de 160 operações", afirmou Protógenes na véspera.

A versão do ex-chefe da Satiagraha - operação que resultou na prisão do banqueiro Daniel Dantas, do Grupo Opportunity - foi rebatida pela PF. Por meio de sua assessoria de imprensa, a corporação afirmou que quando os dois órgãos atuam em conjunto não significa "participação de servidores fazendo monitoramento e interceptação telefônica". "O que existe é apenas troca de informações e, da forma como ocorreu na Satiagraha, não existiu em nenhuma outra operação", informou. "Da forma como ocorreu na Satiagraha não se repetiu."

Tudo o que sabemos sobre:
CPIgramposProtógenesPFAbin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.