PF faz operação contra fraudes de R$ 90 mi nos fundos da Petrobrás e dos Correios

Investigação está concentrada em investimentos feitos pelos dois fundos na empresa Galileo Educacional, que teve falência decretada pela Justiça do Rio de Janeiro em maio passado

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

24 de junho de 2016 | 11h28

RIO - A Polícia Federal cumpre nesta sexta-feira sete mandados de prisão temporária e 12 mandados de busca e apreensão na Operação Recomeço, que investiga desvio de R$ 90 milhões dos fundos de pensão Petros, dos funcionários da Petrobrás, e Postalis, dos Correios. A investigação está concentrada em investimentos feitos pelos dois fundos na empresa Galileo Educacional, que teve falência decretada pela Justiça do Rio de Janeiro em maio passado. 

A Galileo era controladora da Universidade Gama Filho, que encerrou as atividades em 2014. Segundo a PF, os fundos de pensão teriam adquirido cerca de R$ 100 milhões em debêntures emitidas pela Galileo para a recuperação da Gama Filho, mas os recursos não foram aplicados na universidade. "Quando a instituição de ensino 'quebrou', (os fundos) perderam quase todo o dinheiro aplicado, totalizando R$ 90 milhões", informou a Polícia Federal em nota distribuída nesta sexta-feira.

A suspeita, diz a PF, é de que a Galileo "teria apresentado garantias insuficientes, além de ter desviado grande parte dos recursos aportados pelos fundos, em favor de seus sócios e pessoas jurídicas, ao invés de contribuir para a manutenção e recuperação do estabelecimento de ensino". 

A Polícia Federal informa que são investigados os crimes de gestão fraudulenta, desvio de recursos de instituição financeira, associação criminosa e negociação de títulos sem garantia suficiente. Os nomes dos presos ainda não foram divulgados.

A Operação Recomeço envolve 60 policiais federais e foi deflagrada com o Ministério Público Federal (MPF).

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.