PF confirma apreensão de 600 quilos de urânio e tório no Amapá

A Polícia Federal no Amapá confirmou hoje tratar- se de urânio e tório os 600 quilos de minério apreendidos mês passado no Amapá, cujo valor, segundo o delegado Luiz Carlos Nóbrega passaria de um milhão de reais. A apreensão foi feita no dia 9 de julho na zona rural do município de Porto Grande, distante cerca de 120 quilômetros da capital Macapá. O motorista do caminhão que transportava o minério fugiu.Responsável pelo inquérito policial, o delegado Luiz Carlos Nóbrega, disse à Agência Estado que o material foi apreendido em sacos plásticos pronto para comercialização. Amostras foram enviadas aos Instituto Nacional de Criminalística em Brasília, Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial em Fortaleza e ao Instituto de Rádio-Proteção e Dosimetria no Rio de Janeiro (IRD). Há poucos dias o IRD encaminhou à PF, via fax, o resultado preliminar do exame que atesta a presença de urânio e tório nas amostras. O delegado informou que além deste há outros inquéritos na PF envolvendo extração irregular de minério. Ele ressalta que a extração irregular e venda de minérios de alto valor no Amapá ocorre há vários anos, facilitada pelas fronteiras internacionais (Guiana Francesa e Suriname) e pela fronteira com o Pará. "Se não bastasse isso a costa litorânea é extensa e com considerável fluxo de embarcações", diz. Ele diz também que a garimpagem atrai pessoas de diversos Estados para o Amapá, que possui jazidas de ouro, tantalita, tório, urânio e outros. Nesta segunda-feira à tarde, a PF apreendeu quase uma tonelada de tantalita em um depósito em Santana, segundo maior município do Estado e distante de Macapá 24 quilômetros. Em fevereiro deste ano a PF desmobilizou um garimpo na reserva ecológica do Jarí (reserva federal) no sul do Amapá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.