PF conclui que dinheiro do caseiro Nildo é legal

A Polícia Federal concluiu que tem origem legítima e justificada o dinheiro depositado na conta do caseiro Francenildo dos Santos Costa, pivô da crise que derrubou o ministro da Fazenda, Antônio Palocci e o presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Mattoso. Os dois respondem a processo criminal como responsáveis pela quebra ilegal do sigilo bancário do caseiro.Depois de ouvir o pai biológico de Francenildo no Piauí e familiares do caseiro em Brasília, a PF constatou que é consistente a versão de que a quantia de R$ 25 mil depositada na sua conta era em razão da ação de paternidade que ele movera. A constatação será comunicada à Justiça federal até a próxima sexta-feira pelo delegado Rodrigo Carneiro Gomes, encarregado das investigações.Caseiro da mansão usada pela chamada república de Ribeirão Preto para festas e negócios, Francenildo denunciou que Palocci era um dos freqüentadores regulares do local. O ministro negou a acusação em depoimento ao Congresso e mais tarde foi descoberto como autor da ordem de violação do sigilo bancário de Francenildo.As investigações mostraram que chegou ao conhecimento de Palocci que Francenildo recebera "um bom dinheiro" na conta. Na suposição de que era propina paga pela oposição para desmoralizar o governo, o ex-ministro encomendou a Mattoso e ao Conselho de Controle das Atividades Financeiras (Coaf) uma devassa nas movimentações bancárias do caseiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.