PF apreendeu 2.133 pedras preciosas com doleiros no AM

A Polícia Federal do Amazonas confirmou nesta quarta-feira a apreensão de 2.133 pedras preciosas na casa dos irmãos e empresários Manoel e Carlos Cortez, donos da Cortez Câmbio e Turismo, presos ontem sob a acusação de pertencerem a um esquema nacional de evasão de divisas, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro. Junto com eles foi detido também o empresário Gilberto Benzecry. Os três estão presos na Cadeia Pública Vidal Pessoa, no centro de Manaus. O valor das pedras e até mesmo a espécie de cada uma ainda não foi definida. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Federal, somente após avaliação pela polícia técnica é que a PF terá condições de estimar o valor. As investigações, informa a PF, vão continuar e outros envolvidos podem ser chamados a depor. A prisão dos três empresários deveu-se a Operação Farol da Colina, colocada em prática há dois dias em todo o território nacional. Operação Albatroz Quanto a Operação Albatroz, que prendeu 20 pessoas envolvidas com um forte esquema de fraude no sistema de licitação do Estado, espera-se agora o pronunciamento da Assembléia Legislativa do Amazonas em relação à imunidade parlamentar do deputado Antônio Cordeiro (sem partido), apontado pelas investigações como o chefe da quadrilha que desviou mais de R$ 500 milhões dos cofres públicos nos últimos dois anos. Por enquanto, a assembléia continua dizendo não ter informações suficientes para cassar o mandato do deputado, apesar de alguns parlamentares estarem em franca campanha para pelo menos retirar a imunidade de Cordeiro. Enquanto isso não acontece, ele continua acompanhando o caso em liberdade e articulando para libertar a mulher, Edneia de Alencar Ribeiro Cordeiro, presa desde o dia 10 deste mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.