PF apreende em PE urnas falsas vendidas a R$ 500

A Polícia Federal de Pernambuco apreendeu nesta sexta-feira 248 urnas eletrônicas falsas programadas para aceitar unicamente o número do candidato a prefeito ou vereador indicado, durante busca e apreensão em dois apartamentos - um no bairro de Setúbal, na zona sul, e outro no bairro central da Boa Vista, no Recife. As urnas eram utilizadas para "treinar" eleitores, condicionando-os a votar no número do partido ou do candidato no dia da eleição. Listas e protocolos de recebimento das urnas - no valor de R$ 500,00 cada - em nome de cerca de 200 políticos de toda a região Nordeste - da Bahia ao Maranhão - também foram encontrados George Carlos Clementino da Silva e Caio César Coelho Caribé foram presos em flagrante. O primeiro seria o responsável pela distribuição do material e se encontrava no apartamento do bairro de Setúbal. Caribé seria dono de uma empresa de mesmo nome, que fabrica componentes e equipamentos eletrônicos. Ele foi preso em Petrolina, no sertão do São Francisco, acusado de produzir os chips das urnas, e deve ir à noite à sede da PF no Recife, para prestar depoimento. Ambos podem ser condenados a até três anos de prisão por infringir o artigo 340 do Código Eleitoral, que proíbe fabricação, aquisição e fornecimento de urnas e cédulas eleitorais. De acordo com a assessoria de imprensa da PF-PE, a polícia vem investigando crimes eleitorais e este caso especificamente desde o ano passado. Para não comprometer as investigações que continuam sendo realizadas, detalhes e nomes dos candidatos supostamente envolvidos foram mantidos em sigilo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.