PF apreende 3 toneladas de maconha no MS

A Polícia Federal apreendeu hoje pela manhã um total de 3.122 quilos de maconha paraguaia na BR-163, próximo a cidade de Dourados, região sul de Mato Grosso do Sul, e a 220 quilômetros de Campo Grande. A droga estava sendo transportada por um caminhão de propriedade de uma empresa cerealista instalada em Americana (SP). O motorista do veículo Carlos Roberto de Oliveira, de 36 anos, que mora em Araras (SP), assumiu a autoria do tráfico. Ele disse que carregou a carreta com a maconha em Capitán Bado, Paraguai, e em seguida cobriu a carga de entorpecente com 27 toneladas de milho, comprado pela empresa onde trabalha, em Aral Moreira e Coronel Sapucaia, municípios vizinhos a Capitán Bado. Oliveira receberia R$ 3 mil para levar a maconha até Presidente Prudente (SP). Depois de ouvido na Delegacia de Polícia Federal em Dourados, foi levado para o Presídio de Segurança Máxima Harry Amorim Costa.InvestigaçãoA Polícia Federal está investigando na região extremo sul do MS, denúncias de que o Banco do Brasil pode estar indiretamente financiando o plantio de maconha no Paraguai. O dinheiro liberado pela agência do BB em Aral Moreira para as plantações de milho pode estar sendo desviado para o plantio de maconha em Capitán Bado. O delegado Adelar Anderle, da PF em Ponta Porã, confirma que já existe um inquérito instaurado sobre o assunto na Delegacia de Repressão a Entorpecentes da PF no Rio de Janeiro. Segundo informações do próprio Banco do Brasil, está em pleno desenvolvimento as investigações internas para apurar o envolvimento de funcionários daquela agência que liberaram o dinheiro para o custeio de lavouras de milho. Há também suspeitas que o dinheiro do BB pode ter bancado ainda a compra de armas contrabandeadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.