PF age contra empresas suspeitas de lavar dinheiro no ES

A missão especial de combate ao crime organizado e à corrupção no Espírito Santo fez nesta sexta-feira uma megaoperação em empresas de factoring noEstado, suspeitas de lavar dinheiro do crime.Ao todo, 24 mandados de busca e apreensão foram cumpridos, 16 deles nestas empresas que emprestam dinheiro a juros.O empresário Vilmar Pereira dos Santos, conhecido como Baiano, e o advogado Aldano Lemos foram detidos pela Polícia Federal. A operação contou com 140 agentes do Comando de Operações Táticas(COT) da Polícia Federal e do grupo de elite.Eles chegaram ao Espírito Santo por volta dameia-noite de quinta-feira, em um avião Hércules da Força Aérea Brasileira. A operaçãofoi deflagrada às 5h30 desta sexta e comandada pelo chefe do COT, Daniel deOliveira, pelo coordenador da missão especial de Brasília e diretor de Polícia Judiciária,Zulmar Barbosa Pimentel, e pelo coordenador da missão no Espírito Santo, José MariaFonseca.Na empresa Telecred, pertencente a Vilmar Pereira dos Santos, a Polícia Federalapreendeu um cheque, no valor de R$ 2,5 mil, do coronel Walter Gomes Ferreira, militaracusado de ser o braço armado do crime organizado no Estado. Ferreira atualmenteestá preso em uma penitenciária do Acre.A Polícia Federal vai solicitar a quebra do sigilo bancário do empresário paracomprovar sua ligação com Ferreira. Na empresa de Vilmar, a Polícia Federalapreendeu ainda computadores e caixas com documentos, que serão analisados pelaProcuradoria da República no Espírito Santo.O advogado Aldano Lemos foi autuadopor porte ilegal de armas. Ele estava com duas pistolas importadas, uma Glock 380,outra 635, além de um revólver calibre 38. Lemos é suspeito de ser o articulador de umesquema de agiotagem. Ele também representa pessoas que, segundo a Polícia Federal, estão ligadas ao crime organizado.Segundo a Polícia Federal, muitas pessoas que pegavam dinheiro emprestado nas empresas investigadas foram ameaçadas e algumas mortas, por não terem pago as dívidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.