PF abrirá inquérito para investigar denúncias contra Ministério do Esporte

Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que determinará a investigação de denúncias de pagamento de propina; Dilma evitou falar sobre situação de Orlando Silva

Bruno Boghossian e Tânia Monteiro, de O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2011 | 10h41

O Ministério da Justiça vai determinar à Polícia Federal que abra inquérito para investigar as denúncias de pagamento de propina no Ministério do Esporte. Segundo o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a decisão foi tomada a partir de um pedido do ministro do Esporte, Orlando Silva, citado como beneficiário de um esquema de corrupção relatado pelo policial militar João Dias, revelado pela revista Veja.

 

Cardozo destacou que Orlando Silva se dispôs a abrir seus sigilos telefônicos e bancários para contribuir com a investigação. "Obviamente, este gesto nos ajuda na medida em que há uma intenção clara do ministro em uma apuração, que será feita de forma rigorosa e aprofundada pelos órgãos da PF que serão responsáveis pelo caso", afirmou Cardozo nesta segunda-feira, 17. O ministro da Justiça acrescentou que o PM que fez a denúncia será ouvido pela PF.

 

O militar João Dias, e ex-militante do PC do B, mesmo partido do ministro, comanda a Associação João Dias de Kung Fu e é presidente da Federação Brasiliense da modalidade. As duas entidades firmaram convênios com o Ministério do Esporte. Segundo Dias, o esquema existe desde a gestão de Agnelo Queiroz, atual governador do Distrito Federal, quando Orlando respondia pela secretária executiva do ministério.

 

Orlando Silva rebateu as críticas e afirma que se trata de jogo político contra ele. Já envolvido em denúncias de desvios de dinheiro público no ministério, Orlando Silva ficou em situação delicada no governo. Nesta segunda, na África do Sul, a presidente Dilma Rousseff não quis responder perguntas da imprensa brasileira sobre o futuro do ministro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.