PF abre mais um inquérito contra Cameli

A Polícia Federal abriu, no Acre, um novo inquérito contra o ex-governador Orleir Cameli (sem partido), que ficou conhecido nacionalmente por possuir quatro CPFs e duas carteiras de identidade. Desta vez, Cameli está sendo denunciado pelo Ministério Público Federal de São Paulo por evasão de divisas na compra de um Boeing cargueiro 727-200. O MP descobriu que, ao comprar o avião nos Estados Unidos, em 1995, o ex-governador remeteu US$ 250 mil como "sinal" do negócio, sem obedecer aos procedimentos legais fixados pelo Banco Central e a Receita Federal.O Boeing 727-200, comprado por meio de leasing nos EUA, foi apreendido em agosto de 1995, no aeroporto de Cumbica (SP), carregado de peças contrabandeadas. Na época, o ex-governador afirmou que o avião era seu e que pretendia comprar outros dez, para usar em exportações de produtos da Amazônia. "Se ficar comprovada a evasão de divisas, o ex-governador será indiciado", afirmou o superintendente da Polícia Federal no Acre, Ney Ferreira de Souza, responsável pelo novo inquérito. Souza deverá intimidar Cameli a depor na próxima semana.O avião de Cameli foi trazido dos EUA pelo piloto Mauro Oliveira de Castro, que seria ligado ao narcotráfico. A reportagem tentou ouvir o ex-governador sobre a compra do Boeing, mas na residência em Manaus (AM), onde o ex-governador vive atualmente, um funcionário disse que Cameli estaria na PF prestando depoimento sobre o inquérito que apura a compra de votos para aprovar a emenda da reeleição, em 1997.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.