Pezão tenta se afastar de Bethlem e confirma que deputado não disputará eleição

Candidato à reeleição, governador do Rio diz que provas contra aliado 'são muito fortes' e, para evitar prejuízos à sua imagem, ressalta que suspeitas se referem a "problema dentro da prefeitura'

TIAGO ROGERO, Agência Estado

30 de julho de 2014 | 17h48

O governador do Rio e candidato à reeleição, Luiz Fernando Pezão (PMDB), afirmou na tarde desta quarta-feira, 30, que o deputado federal Rodrigo Bethlem, de seu partido, desistiu de se candidatar a uma nova vaga na Câmara Federal. Em gravações feitas secretamente pela ex-mulher, Vanessa Felipe, Bethlem admite que recebeu comissão ilegal de ONGs prestadoras de serviço à Secretaria Municipal de Assistência Social, que comandou entre 2011 e 2012. Disse também ter uma conta na Suíça, não informada na declaração de renda.

"Ele renunciou (à candidatura). Parece que está saindo, né?", afirmou Pezão, que depois completou: "Estou sabendo que ele chamou diversas pessoas (candidatos a deputado estadual) que estavam fazendo dobradinha com ele e comunicou que não será candidato".

O governador visitou nesta tarde um conjunto habitacional prestes a ser inaugurado - a previsão é agosto - do programa Minha Casa Minha Vida no complexo de favelas do Alemão, na zona norte do Rio. Pezão disse ter ficado "muito triste" com o caso Bethlem. "As provas são muito fortes. É uma pessoa que conheço há muitos anos e isso entristece a todos".

Pezão fez questão de desvincular a imagem de seu correligionário da administração estadual. "Foi um problema dentro do município, dentro da prefeitura, e o prefeito tomou sua decisão. Conheci o Bethlem e não sabia do que tinha ocorrido, que isso tinha acontecido. O meu espanto, a minha tristeza, foi a mesma do prefeito. Todos nós ficamos perplexos". Pezão elogiou o prefeito Eduardo Paes, também do PMDB, que, segundo o governador, "tomou a decisão certa, no primeiro dia (após as denúncias), de ver o que aconteceu dentro da secretaria (de Assistência Social)".

Na tarde de sábado, 26, Paes anunciou uma auditoria em todos os contratos firmados pelas secretarias por onde Bethlem passou (Ordem Pública, Assistência Social e Governo) e se disse "estarrecido" com a denúncia de corrupção. Bethlem era um dos colaboradores mais próximos do prefeito e deixou o poder público em abril para se candidatar à reeleição. Desde segunda-feira o PMDB-RJ esperava que Bethlem anunciasse a renúncia à candidatura. Com essa decisão, o partido acredita que será estancado o desgaste político e o constrangimento criado para a candidatura de Pezão. A assessoria de Bethlem afirmou que o deputado não comunicou qualquer decisão sobre a candidatura nem sobre um eventual pedido de afastamento do PMDB. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.