MARCOS DE PAULA/ESTADÃO
MARCOS DE PAULA/ESTADÃO

Pezão diz que a pena de Cabral foi 'excessiva'

Governador do Rio disse que Cabral tem que se defender: 'Acho que em instâncias superiores ele vai conseguir a diminuição'

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2017 | 17h58

RIO - O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), disse nesta segunda-feira, 2, que foi “excessiva” a pena de 45 anos e dois meses de prisão aplicada ao ex-governador Sérgio Cabral Filho (PMDB), por crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa, investigados na Operação Calicute.

+++ 'Eu só assinava', diz Pezão sobre obras de Cabral sob suspeita

"Ele (Cabral) tem que se defender, mas achei (a pena) excessiva, muito grande. Acho que em instâncias superiores ele vai conseguir a diminuição", afirmou Pezão. Ele deu entrevista após prestar depoimento à 7ª Vara Federal Criminal, como testemunha de defesa de Cabral em outro processo.

+++ Defesa de Cabral consegue suspender leilão de bens do ex-governador

A sentença da Operação Calicute foi proferida pelo juiz Marcelo Bretas no último dia 20 de setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.