Pezão corta o próprio salário, de seu vice e de secretários em 10%

O corte salarial das maiores autoridades do Executivo fluminense é apenas parte das medidas de corte de gastos adotadas pelo governo Pezão

Luciana Nunes Leal, O Estado de S.Paulo

11 de dezembro de 2015 | 15h40

Rio - O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) determinou nesta sexta-feira, 11, a redução em 10% do próprio salário e dos salários do vice-governador Francisco Dornelles (PP) e dos secretários estaduais. O corte salarial das maiores autoridades do Executivo fluminense é apenas parte das medidas de corte de gastos adotadas pelo governo Pezão. O salário de Pezão será reduzido de R$ 21.868,14 para R$ 19.681,33.

Do pacote de medidas, faz parte a venda de um helicóptero do Estado avaliado em cerca de US$ 3 milhões. Segundo o governador, o corte de gastos deverá chegar a R$ 500 milhões em 2016. Em 2015, a redução foi de R$ 300 milhões. Pezão reuniu-se nesta sexta-feira com os secretários. Na semana que vem, o primeiro escalão voltará a se reunir.

A situação financeira gravíssima do Estado, causada principalmente pela queda na arrecadação de ICMS e de royalties do petróleo, foi tema de várias reuniões de Pezão no Ministério da Fazenda, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, nos últimos dois dias, em Brasília.O governador confirmou que ainda não tem garantidos recursos para pagamento da segunda parcela do 13º salário dos servidores, prevista para o próximo dia 17.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.