Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

Pezão começa quimioterapia e diz estar 'otimista e confiante'

Governador do Rio de Janeiro foi diagnosticado com câncer no sistema linfático (linfoma) e vai se licenciar do cargo por 30 dias

Luciana Nunes Leal, O Estado de S.Paulo

25 de março de 2016 | 11h24

RIO  - O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) começou na manhã desta sexta-feira, 25, o tratamento de quimioterapia contra o câncer no sistema linfático (linfoma) e se disse “otimista e confiante”. Na segunda-feira, 28, começa a licença de 30 dias, e Pezão será substituído pelo vice-governador Francisco Dornelles (PP), de 81 anos.As sessões de quimioterapia continuarão no sábado e no domingo. Em seguida, Pezão terá 18 dias de descanso, somando ciclo de 21 dias. Segundo o oncologista Daniel Tabak, o tratamento terá de seis a oito ciclos, dependendo da resposta do governador às drogas aplicadas.

“Graças a Deus, o tratamento é mais simples do que o nome complicado desse linfoma. Estou bem e bastante otimista e confiante”, afirmou o governador depois da primeira sessão de quimioterapia, segundo nota distribuída pelo governo do Estado. A doença diagnosticada é linfoma não-Hodgkin anaplásico de células T-Alk positivo.

As sessões acontecem no quarto do hospital Pró-Cardíano, em Botafogo (zona sul), onde o governador está internado desde o dia 12. Se reagir bem às primeiras sessões, Pezão poderá ir para a casa na terça-feira, 29, quando completa 61 anos.

Meus amigos, hoje os médicos chegaram ao meu diagnóstico. Estou com um linfoma não-Hodgkin. Amanhã, começo o tratamento...Publicado por Luiz Fernando Pezão em Quinta, 24 de março de 2016

Na tarde de quinta-feira, 24, Pezão e os médicos que o atendem comunicaram o diagnóstico em entrevista coletiva no hospital. Depois, o governador publicou nas redes sociais mensagens de agradecimento aos médicos, à família e aos amigos e de otimismo diante da doença. “Vou encarar com determinação e muita firmeza”, escreveu. “Se Deus está me colocando essa provação, é sinal que Ele vai me dar os instrumentos para eu sair dessa mais forte ainda”, disse o governador.

Também na quinta, Pezão recebeu um telefonema da presidente Dilma Rousseff, que em 2009 enfrentou um linfoma não-Hodgkin tipo B. O câncer da presidente atingiu gânglios, enquanto o linfoma de Pezão afetou ossos das vértebras.

O prefeito Eduardo Paes (PMDB) fez uma homenagem a Pezão nas redes sociais. “Mais do que fazer o registro de nossa amizade nesse momento, queria reconhecer e enaltecer o super ser humano que nos honra governando o Estado nesse momento tão difícil. Amigo, correto, humilde, divertido, bom papo, bem humorado, bom de copo e de samba, simples, bom marido, bom pai, presente, solidário”, elogiou o prefeito, que disse ter certeza do sucesso do tratamento de Pezão.

Hoje pela manhã em entrevista coletiva, os médicos que assistem ao governador Pezão, confirmaram que ele está com um...Publicado por Eduardo Paes em Quinta, 24 de março de 2016

O presidente do PMDB-RJ, Jorge Picciani, pai do líder do partido na Câmara, Leonardo Picciani, também prestou solidariedade a Pezão nas redes socais. “Estou confiante na pronta recuperação do companheiro e amigo, governador do nosso Estado, Luiz Fernando Pezão. Eu já tive câncer e, com fé em Deus, seguindo as orientações médicas, me curei. Pezão vai se curar rapidamente”, escreveu.

Estou confiante na pronta recuperação do companheiro e amigo, governador do nosso estado, Luiz Fernando Pezão. Eu já...Publicado por Jorge Picciani em Quinta, 24 de março de 2016

Nesta quinta-feira, o PMDB do Rio sinalizou que votará pelo rompimento com o governo, na reunião do diretório nacional do partido marcada para terça-feira, 29. Embora sejam integrantes do diretório nacional, Pezão, Paes e o ex-governador Sérgio Cabral não irão ao encontro e serão substituídos por suplentes.

Dos 12 peemedebistas fluminenses que integram o diretório nacional, apenas Leonardo Picciani e o ministro de Ciência e Tecnologia, Celso Pansera, devem ser favoráveis à manutenção da aliança com o governo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.