Petrobrás reforça pedido para acessar delação de Costa

Petrobrás reforça pedido para acessar delação de Costa

Ex-diretor teria admitido em depoimento ao Ministério Público que recebeu propina na negociação de Pasadena e operou esquema de distribuição de comissão a partidos aliados do governo federal

ANTONIO PITA, Estadão Conteúdo

19 de setembro de 2014 | 20h41

A Petrobrás reforçou nesta sexta-feira, 19, o pedido à Justiça Federal do Paraná para ter acesso a trechos da delação premiada do ex-diretor de abastecimento Paulo Roberto Costa. O ex-diretor teria admitido em depoimento ao Ministério Público que recebeu propina na negociação de Pasadena e operou esquema de distribuição de comissão a partidos aliados do governo federal.

Segundo a estatal, o pedido de acesso aos depoimentos tem por objetivo apurar as possíveis irregularidades nos seus contratos. O pedido abrange apenas os trechos em que são citados funcionários, ex-funcionários e empresas com as quais a Petrobrás tem contratos.

A compra da refinaria de Pasadena, iniciada em 2006, causou prejuízo de US$ 1,2 bilhão à estatal, segundo relatório do Tribunal de Contas da União (TCU). Em março, o Estado revelou que a compra recebeu aval da presidente Dilma Rousseff, à época, presidente do conselho de administração da companhia. Segundo a presidente, ela se baseou em um relatório técnico "falho" para aprovar a compra.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasCPIPaulo Roberto costa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.