Petrobras reavalia terceirização de funcionários

A Petrobras está reavaliando o programa de terceirização de funcionários que trabalham nas plataformas de exploração de petróleo. O gerente executivo de Segurança, Meio Ambiente e Saúde da empresa, Irani Varella, admitiu isso ontem, depois que um novo acidente em plataforma resultou no vazamento de 26 mil litros de óleo na Bacia de Campos. A Plataforma P-7, que produz 15.600 barris diários no Campo de Bicudo, abrigava 143 pessoas na hora do acidente. A produção foi paralisada. Os sindicatos de petroleiros têm responsabilizado a terceirização pela sucessão de acidentes. De fato, segundo Varella, a decisão de reavaliar isso foi resultado de um "questionamento nacional". O acidente ocorreu apenas 28 dias após as explosões que causaram a morte de 11 funcionários e o afundamento da Plataforma P-36, avaliada em R$ 1 bilhão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.