Petrobras pode ser multada em até R$ 50 milhões

A Petrobras será multada em até R$ 50 milhões pelo vazamento de 26 mil litros de óleo cru da Plataforma P-7, no Campo de Bicudo, na Bacia de Campos, no norte fluminense, ocorrido na última quinta-feira. A decisão sobre o valor da punição será tomada pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) até o fim da próxima semana, segundo informou o diretor de Controle Ambiental do órgão, Humberto Candeias. Uma equipe de técnicos vai elaborar um relatório sobre o acidente, a ser encaminhado à presidência do instituto, que tomará a decisão final sobre o valor da multa. "Não me arrisco a fazer uma previsão sobre quanto será", disse ele, esclarecendo que R$ 50 milhões é o valor máximo para esse tipo de caso. "Varia em função da causa do acidente, o que significou em termos de displicência da empresa, o que decorreu de causas naturais."Depois de sobrevoar ontem novamente a área do vazamento, Candeias e o coordenador regional do Ibama no Rio, Carlos Henrique Abreu Mendes, constataram que a Petrobras intensificou as medidas de combate à mancha. Na véspera, representantes do Ibama e da Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente (Feema) consideraram insuficientes a quantidade de barcos, barreiras e lanchas usadas contra o óleo. "As medidas agora são safisfatórias", atestou. Segundo ele, ontem havia três barreiras para coleta de óleo (na quinta, era só uma) e cinco lanchas de dispersão (antes, eram duas).Ao todo, 14 embarcações estão operando no local. O diretor do Ibama avaliou que a mancha, provavelmente, estará totalmente dispersa hoje. Ela já diminuiu de tamanho: dos 50 quilômetros quadrados da véspera, reduzira-se a cerca de 30 quilômetros. "Já houve uma certa dispersão e coleta", disse Candeias. "Dos 26 mil litros, há de 7 mil a 10 mil litros no mar; cerca de 16 mil a 20 mil litros já foram coletados ou dispersos." Segundo ele, a mancha continua em alto mar, a mais de 100 quilômetros da costa, e deve continuar assim, se permanecerem as atuais condições climáticas e de mar.Candeias disse que o ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, determinou que seja preparado um plano de contingência para toda a Bacia de Campos, de onde sai 80% do petróleo extraído no Brasil. A região tem 40 plataformas. "Atualmente, cada plataforma tem, basicamente, o seu plano", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.