Petrobras não tem nada a esconder, diz Hage, da CGU

O ministro da Controladoria Geral da União (CGU), Jorge Hage, disse nesta tarde que a Petrobras não tem nada a esconder sobre questões que motivaram a instalação da CPI no Senado, criada há dez dias para investigar denúncias de irregularidades na estatal. Por meio de sua assessoria de imprensa, Hage relatou que, na conversa que teve hoje pela manhã no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB) com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foram discutidas questões que estão sendo apontadas como "motivação para a criação da CPI". Na reunião, também estavam presentes o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o presidente da BR Distribuidora, José Eduardo Dutra.

LEONENCIO NOSSA, Agencia Estado

25 Maio 2009 | 17h52

"Na avaliação feita durante a reunião, reafirmou-se que a Petrobras e o governo responderão a todos os questionamentos sobre os fatos determinados", disse Hage. "Todos estes pontos, aliás, já eram do conhecimento público, haviam sido divulgados na imprensa e já vinham sendo acompanhados pelo sistema de controle", completou o ministro, referindo-se a auditorias internas da Petrobras e às auditorias da CGU e do Tribunal de Contas da União (TCU). Ainda por meio de sua assessoria, Hage disse que "as providências que tinham que ser tomadas já foram encaminhadas".

Mais conteúdo sobre:
CPI da PetrobrasCGUJorge Hage

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.