Petrobras gastou US$ 6,5 mi com advogado, diz engenheiro

Ex-presidente da Petrobras América Inc. afirmou que foram gastos pelo menos US$ 6,5 milhões de honorários advocatícios

FÁBIO BRANDT, Agência Estado

30 de julho de 2014 | 16h29

A Petrobras pagou pelo menos US$ 6,5 milhões de honorários advocatícios no litígio que travou com a empresa belga Astra Oil por desentendimentos relacionados à compra de Pasadena. A informação foi dada na tarde desta quarta-feira, 30, à CPI mista da Petrobras pelo engenheiro José Orlando Melo Azevedo, ex-presidente da Petrobras América Inc., subsidiária da estatal brasileira nos EUA.

Primo do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli, Azevedo presidiu a subsidiária americana de 2008 a 2012 e acompanhou o processo judicial. Questionado sobre os gastos com advogados, ele não soube dizer o valor preciso. Disse que foram pagos cerca de US$ 3,5 milhões ou US$ 4 milhões ao escritório que defendeu a estatal brasileira. Outros US$ 3 milhões foram pagos aos advogados da Astra porque a Petrobras perdeu a ação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.