Petrobrás: em 3 anos, 99 acidentes e 32 mortes

Segundo levantamento do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense, até o início do mês passado 32 pessoas morreram a serviço da Petrobrás em 99 acidentes ocorridos em plataformas nos últimos três anos. A média é de uma morte a cada 37 dias. O levantamento foi levado ao Ministério Público do Trabalho no Rio, que, no início do mês passado, prometeu abrir inquérito civil público para apurar as mortes que têm ocorrido nos últimos anos em plataformas da estatal na Bacia de Campos, no litoral norte do Estado, onde se concentra a produção de petróleo do País. Os números do sindicato elevam ao extremo a classificação de "periculosidade" dada ao trabalho em plataformas de petróleo no País. Em janeiro, ocorreram mais duas mortes de funcionários de uma empresa prestadora de serviços para a Petrobrás, após a inalação de gás sulfídrico num compartimento da plataforma P-37. No sábado, um incêndio em outra plataforma, causado por vazamento de gás, deixou quatro feridos (dois deles em estado grave), também de uma empresa terceirizada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.